Visões de um Ceará Vida e Arte

0
71




Os estilistas cearenses Lindebergue Fernandes e Ivanildo Nunes com o figurinista e carnavalesco responsável pelo enredo da União da Ilha, Severo Luzardo, ao centro

Falta pouco. No próximo dia 4, a moda cearense será destaque no Carnaval das escolas de samba do Rio de Janeiro. Aos olhos do mundo, ela será apresentada pela União da Ilha do Governador, que convocou, além de homenagear, dois estilistas cearenses, Ivanildo Nunes e Lindebergue Fernandes, para imprimirem suas
visões na Sapucaí.

Sob o enredo “A peleja poética entre Rachel e Alencar no avarandado do céu”, assinado pelo carnavalesco Severo Luzardo, a escola convidará, junto aos estilistas, a um passeio de vários Cearás, até o beijo com a moda, no quinto e último carro alegórico. Antes, traz elementos como o artesanato e as comidas típicas; os festejos; além das belezas naturais do Estado.

“Precisávamos mostrar um pouco dos costumes, da cultura, para poder chegar no entendimento da moda cearense”, explica Severo, sobre o desenvolvimento do desfile a ser exibido no Rio. “Será um panorama da moda cearense ao mundo”, prepara o carnavalesco.

Além da dupla de estilistas, o artesão Espedito Seleiro, de Nova Olinda-CE, também será homenageado pela escola, na ala “A Moda de Espedito Seleiro”. “É uma das figuras mais importantes que temos do cenário nacional. Nós é que devemos agradecer, reverenciar de joelhos, esse grande mestre do design
brasileiro”, atribui.

Na segunda ala desse setor, a União da Ilha apresentará os bordados de filé feitos especialmente pelas bordadeiras de Jaguaribe. “Fizemos contato, fomos até a cidade e conseguimos que as próprias bordadeiras fizessem o trabalho de filé para representar 100 fantasias que vão contar isso. Temos também uma ala que mostra o trabalho das rendeiras, sobretudo as de bilro”, antecipa ao O POVO.

Dos bordados e rendas para a “Moda de Dormir” será um pulo. A lingerie, importante segmento para o Estado, assim como a moda praia, apesar de não ter sido destacada para o evento no Rio, será um elo chave dentro do desfile. “Criamos a ala ‘Angel’s da Ilha'”, conta o carnavalesco da escola, Severo Luzardo.

Ivanildo e Lindebergue? Severo reservou por último. A “Moda de Ivanildo Nunes” dará aura de alta-costura à Velha Guarda. “A gola dos blazers masculinos foi feita de renda de bilro, todas bordadas no Ceará, e ele preparou os kaftans que as senhoras vestem, também dentro do estilo dele”, apresenta Severo.

A doação à escola vai além das roupas (não fantasias). Ivanildo não só desenhou como fez questão de confeccionar item por item. É o seu salve às tradições manuais, para que elas aparecem, resistam e colham um futuro. “Batizei como a ala do ‘Espírito do Artesanato Cearense'”, se referiu o
estilista sobre a ala.

Nos 33 looks femininos, fazendo alusão ao mar, ele inclui uma pala de rechilieu feita na comunidade de Peledo, com renda de bilro desenvolvida no Eusébio e Jabuti. Ainda fez questão de rebordar com vidrilhos e cristais. No detalhe do visual masculino, além da renda de bilro confeccionada pelas rendeiras da Praia de Aquiraz, destaca o acabamento de renascença.

“Algumas técnicas estão se acabando e é importante, com essa visibilidade, na simbologia dos ‘guardiões da escola’, ajudar a divulgá-las, para que as pessoas vejam que é possível resgatar a tradição do artesanato por meio da moda”, diz Ivanildo.

Na “Prata da Casa”, quem fará as honras será Lindebergue Fernandes. “Mostrar a cultura de meu povo no maior espetáculo popular da terra é de tirar o fôlego”, disse ao O POVO. O estilista é responsável por mais de 150 fantasias, que receberão, com as mudanças no projeto, os arabescos à la Espedito, impresso pela Attualitá em Fortaleza.

Os homenageados da moda surgirão no quinto carro alegórico, incluindo, além de seu Espedito, Ivanildo e Lindebergue, o nome de Rebeca Sampaio. A estilista também entrou no projeto da concepção da escola e co-criou, ao lado do figurinista e carnavalesco Severo Luzardo, os figurinos da comissão de frente. Até a vista!





Fonte: https://www.opovo.com.br/jornal/vida_e_arte/2019/02/29469-visoes-de-um-ceara.html