Dupla é presa depois sequestrar homem e trocar tiros com a polícia na Ilha – EXTRA

0
7077

Fonte: Extra

“RIO — Dois suspeitos foram presos depois de praticarem um sequestro relâmpago e trocarem tiros com policiais na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, na noite desta sexta-feira. O cerco, realizado na Estrada do Galeão, foi feito por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), pouco antes das 23h. De acordo com a especializada, durante a abordagem, os policiais perceberam que havia uma vítima dentro do automóvel ocupado pela dupla. Na ação, porém, o homem que estava sob o poder dos bandidos no interior do carro conseguiu saltar do veículo. Houve confronto, em seguida.

Segundo a DRFA, os suspeitos — identificados como Ricardo Vicente Cabral Júnior, de 21 anos; e Daniel Conceição dos Santos, de 32 — dispararam contra os policiais, no momento em que se depararam as equipes. Os agentes, porém, só responderam ao ataque, depois de se certificarem que a vítima já havia escapado do automóvel, modelo HB20, de cor preta. No fogo cruzado, um policial civil foi baleado em um dos braços. Ele foi socorrido e não corre risco de morrer.

De acordo com o delegado titular da DRFA, Alessandro Petralanda, o cerco montado na Ilha foi um desdobramento de uma investigação que apurava o roubo de veículos na Ilha do Governador, praticado por uma quadrilha oriunda da comunidade Parque União, que faz parte do complexo de favelas da Maré, na Zona Norte do Rio.

— Nas investigações, que duraram cerca de três meses, conseguimos descobrir o modo de operação dessa organização criminosa. Montamos um cerco para tentar prendê-los e na Estrada do Galeão (com essas equipes mobilizadas) conseguimos prender esses dois homens — explicou o delegado, antes de detalhar como foi a dinâmica da ação. — Na abordagem, eles dispararam contra os policiais. Percebemos que havia uma vitima dentro do veículo e que estava em andamento um sequestro relâmpago. Não efetuamos disparos, procuramos apenas cercar o carro. A vítima conseguiu abrir a porta e se atirar ao chão. (Os suspeitos) arrancaram com o veículo do local. Aí, sim, partimos para a perseguição. Eles atiraram contra os policiais. Nesse momento, com a vítima fora do carro, os agentes revidaram.

A primeira abordagem aconteceu próximo à base área do Galeão. A dupla, depois da perseguição, foi interceptada novamente perto da saída para a Avenida Brasil, onde ambos foram capturados. Os suspeitos não ficaram feridos, mas havia marcas de tiros no veículo utilizado por eles.

Segundo o relato da vítimas aos policiais, o homem que sofreu o sequestro relâmpago, que não teve a identidade revelada, foi rendido em seu carro no bairro Jardim Guanabara, na Ilha. Posteriormente, ainda com a vítima em seu poder, os assaltantes pararam em um bar, renderam os presentes no local e levaram caixas de cerveja, pertences dos presentes e até uma televisão.

Ainda conforme o depoimento, dados bancários do sequestrado chegaram a ser coletados pelos criminosos, sob ameaça. Os criminosos não chegaram a sacar qualquer quantia. Além disso, de acordo com o relato, ele sofreu agressões enquanto estava no interior do carro sob o poder dos bandidos.

Com Ricardo e Daniel, os policiais apreenderam uma arma e munição — os bens levados da vítima do sequestro e o que foi levado do bar foram recuperados. Eles responderão pelos crimes de roubo, extorsão mediante sequestro e tentativa de homicídio (por atirarem contra o agente que foi atingido), em penas que, somadas, podem chegar a 50 anos de prisão, informou a especializada. Além disso, a dupla já tinha passagens pela polícia por outros crimes como furto qualificado, no caso de Ricardo; e homicídio, em relação a Daniel.

As vítimas — tanto a do sequestro relâmpago quanto as pessoas roubadas em um bar — foram até a Cidade da Polícia, no Jacaré, também na Zona Norte, para o registro da ocorrência. A Polícia Civil informou ainda que outros homens que atuam na quadrilha alvo das investigações já foram identificados:

— Essa organização criminosa é bem maior. Outros homens estão envolvidos e já estão identificados. Outros cercos ocorrerão. Não vamos descansar até que todos eles sejam presos. Não é a primeira vez que eles praticam esse tipo de sequestros relâmpago. As vítimas desses outros casos serão trazidas à delegacia para fazer o reconhecimento formal dos dois que estão presos. — disse o delegado Petralanda.”

Fonte: https://extra.globo.com/casos-de-policia/dupla-presa-depois-sequestrar-homem-trocar-tiros-com-policia-na-ilha-21920707.html