Estudar Sempre Vale a Pena – MUNDO VESTIBULAR

0
225
Por: Décio Luiz Mello Peixoto Faria – Mestre em Administração pela UEX – Espanha – Projecto Psi
 “Nunca a educação foi tão necessária e valorizada como nos dias atuais”.

          É comum ouvir-se de pessoas com mais idade a expressão: estudar vale a pena! Na verdade, e através dos tempos, sempre valeu a pena estudar. Notadamente nos dias de hoje, com a globalização das economias, o fluxo de informações com velocidade alucinante e as culturas se inter-relacionando cada vez mais.

          Nunca a educação foi tão necessária e valorizada como nos dias atuais. Abre-se um jornal e se pega qualquer anúncio de emprego e a exigência mínima é o 2º grau completo.

          A expressão “estudar vale a pena” pode ser comprovada com dados do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE; informações colhidas junto a Coordenadoria de Pesquisas e Relações do Trabalho (CRT), da Secretaria do Emprego e Promoção Social do Paraná (SETP) para o ano de 2007, indicam que quanto mais anos de estudos as pessoas possuem, maiores são seus rendimentos médios. Senão vejamos:

          As pessoas analfabetas, no Paraná, em 2007, obtiveram salários médios de R$ 466,50. Completadas as primeiras 4 séries, este rendimento passa para R$ 513,68. Acréscimo de pouco mais de 10%.

          Completando-se as 8 séries, o salário médio passa para R$ 513,93. Ao completar o 2º grau, o trabalhador paranaense passa a perceber R$ 531,93. Acréscimo em torno de 6%.
O indivíduo, ao ingressar no ensino superior, é que começa a receber salários mais diferenciados.

          No decorrer do curso, o trabalhador – universitário paranaense, em 2007, de acordo com a mesma fonte, começa a perceber um salário de R$ 723,90. Acréscimo de 28%. Ao concluir o curso superior, seu salário médio passa para R$ 1.405,08, com acréscimo de expressivos 94%.

          Caso deseje aprimorar seus estudos, e resolva participar de algum programa de pós-graduação strictu sensu (Mestrado ou Doutorado), receberá salários bem superiores aos que pararam de estudar com a conclusão do curso superior.

Conforme dados da RAIS – Relação Anual de Informações

Sociais, do MTE, ano de 2006, o profissional com Mestrado, no Paraná, recebeu salário médio de R$ 3.155,90; acréscimo de 125% sobre os que concluíram o curso superior.

          Dados da mesma fonte indicam que concluindo o Doutorado, o profissional passa a ganhar R$ 5.695,56; acréscimo de 80% sobre os que possuem Mestrado.

          Desta maneira, desde ingresso do aluno em uma faculdade e, até, o término de seu doutoramento (em torno de 10/12 anos), seu salário médio será superior em 4 vezes, ou 305%. Para uma economia estável como a brasileira, este valor constitui-se numa valorização profissional por demais expressiva.

          Há que se ressaltar que, de acordo com a RAIS/MTE/2006, existem atualmente no Paraná, em todos os setores econômicos, 5.418 Mestres e 2.878 Doutores, totalizando 8.294 profissionais.

Portanto, cada vez mais é verdadeira a expressão: estudar sempre vale a pena!

APOIO:  CEBRAC – Unidade Ilha do Governador
A mais completa escola de cursos do País!!
Tel. (21) 3396-8638