Pular de galho em galho no emprego pega mal – http://msn.clickcarreira.com.br

0
240
Você sabia que listar muitas trocas de emprego no currículo pode pegar mal com o recrutador? Se o tempo de permanência em cada função for muito reduzido, isto é, se as experiências profissionais tiverem duração inferior a seis meses, a situação pode piorar ainda mais. “Quando me deparo com um currículo desse tipo, a primeira pergunta que me vem à cabeça é: ‘O que aconteceu para esse candidato ter mudado tanto de emprego? ’”, revela Adriana Rodrigues, consultora da Cia de Talentos.
Adriana explica que durante o período de estágio, que é um momento de transição da universidade para o mercado de trabalho, essa mobilidade é mais bem aceita. Principalmente porque é durante essa fase que o estudante tem a possibilidade de experimentar diversas áreas de determinado campo de atuação. “Outro ponto é que os contratos de estágio têm uma duração mínima de seis meses e máxima de dois anos. Há, inclusive, empresas que só assinam contratos de seis meses”, diz ela.
Por outro lado, a situação se agrava quando se trata de um profissional recém-formado ou mais experiente. “O vínculo celetista é indeterminado. Logo, o impacto negativo de ter tido cinco empregos em dois anos, por exemplo, é muito maior após a graduação”, esclarece.
Fuja da saia justa – A boa notícia é que é possível, sim, mudar de estágio ou emprego várias vezes sem ser desclassificado na entrevista. Para não se enrolar na hora da conversa com o recrutador, saiba explicar os reais motivos pelos quais você deixou seu antigo estágio ou emprego. Seja porque o contrato era de apenas seis meses sem a possibilidade de renovação, porque gostaria de experimentar outra área profissional ou porque recebeu uma proposta mais interessante.
Adriana Rodrigues ressalta que boas respostas incluem exemplos palpáveis e situações concretas, pois esses dois elementos colaboram para que o entrevistador entenda os reais motivos do candidato. Para ter mais segurança na hora de falar, vale refletir antes da entrevista sobre essas questões.
Resposta errada – Argumentos como “não gostava do meu chefe porque ele era muito exigente”, “o escritório era muito longe da minha casa”, “não me dei com minha equipe” ou “era obrigado a chegar no trabalho muito cedo” certamente serão motivos para uma desclassificação no processo seletivo. Isso porque antes de aceitar uma proposta de emprego, explica a consultora da Cia de Talentos, o profissional deve avaliar todas essas questões, evitando frustrações ou, até mesmo, um desligamento precipitado da empresa.
“Um candidato que pula de estágio em estágio por motivos inconsistentes, como incompatibilidade com colegas ou horário de trabalho, mostra para o recrutador indícios de falta de comprometimento e organização. Afinal, trabalho não é brincadeira”, conclui Adriana.
 
Fonte: http://msn.clickcarreira.com.br/queroumavaga/2012/5/22/4018/pergunte-ao-headhunter-como-justificar-que-tive-5-empregos-em-2-anos.html